Secretário de Fazenda de Doria identifica rombo de R$7,5 bilhões e pede mais corte de gastos

In Corrupção
Rombos de R$7,5-bilhões, economia, déficit

Recentemente, o Brasil recebeu uma notícia bastante animadora por parte de um dos principais órgãos de análise financeira do mundo, o FMI. De acordo com a instituição, a economia brasileira deve apresentar uma pequena melhora nos próximos anos. No entanto, mesmo com essa perspectiva de desenvolvimento, o secretário de Fazenda Dória identificou um rombo de R$7,5 bilhões.

Após divulgar essa situação para o governou solicitou que seja adotado novas medidas para cortas os gastos para evitar que o Brasil apresente um balanço econômico ainda maior. Chamada de operação tapa-buraco, a inspeção das contas da Prefeitura de São Paulo chegou a esse veredito de que será preciso apertar o garrote nos gastos.

Essas informações foram divulgadas no dia 17 do mês passado em que João Doria, juntamente com Caio Megale, colocaram em pauta a questão do rombo de R$7,5 bilhões. Segundo o economista, o órgão apresente esse déficit e se caso não for resposto a Prefeitura de São Paulo não conseguirá cobrir os custos previstos no orçamento aprovado no ano passado.

As justificativas dadas para a ocorrência de um rombo de R$7,5 bilhões são a de que as despesas foram subdimensionadas e as receitas foram superestimadas. Apesar de já existir um certo corte na economia, o economista destacou que será preciso cortar mais gastos e intensificar o controle das despesas.

Além disso, Megale demonstrou estar preocupado em relação as despesas que foram adiadas pela gestão anterior. Em contrapartida, Ana Carla Costa, presidente do Conselho de Gestão da Fazenda satirizou ao dizer que apenas um lenço seria pouco para enxugar as lagrimas dos colegas. A frase utilizada para isso foi “melhor um lençol”.

Diante dessa situação de rombo de R$7,5 bilhões em que a retoma do crescimento da economia brasileira está bastante relacionada com a eficiente do governo em controlar os gastos, é fundamental conhecer a medida tomada e que é conhecida como uma das principais para lidar com esse momento nada agradável que o país vive

PEC-241

Os últimos anos foram bastante promissores para o Brasil. Dentre os principais motivos que contribuirão para o fortalecimento dessa condição está o fato de que o país recebeu eventos muitos importantes como é o caso da Copa do Mundo de 2016 e também das Olímpiadas realizadas no Rio de Janeiro.

Esses dois eventos fizeram com que o Brasil se tornasse um grande alvo dos principais investidores. Como consequência dessas ações, a economia passou a apresentar um crescimento bem interessante. No entanto, com o termino dos eventos e dos procedimentos relacionados a eles, o governo não soube gerenciar os recursos brasileiros com eficiência.

A fato de Doria e de seus assessores terem identificado o rombo de R$7,5 bilhões, apenas fortalece a ideia de que faltou um melhor planejamento do país para lidar com essa situação que já era esperada.

Posteriormente a isso, foi preciso tomar medidas mais drásticas para inibir o aumento de custos por parte do governo brasileiro e, por isso, a PEC 241 foi criada. Ou seja, ela foi desenvolvida para impor um limite anual de despesas para os três poderes ao longo dos próximos vinte anos.

Muitos tópicos foram alvos de discussões com o intuito de verificar a validade desse projeto de estabelecer um limite anual de despesas. Não há dúvidas de que o intuito dessa medida era necessário para uma econômica instável como a brasileira e que constantemente apresentava outros rombos de R$7,5 bilhões.

Para se ter ideia da gravidade da situação que a economia brasileira enfrentava, o ano de 2016 foi o terceiro ano seguido em que as contas permaneceram no vermelho. Ao observar os dados dos últimos 4 anos, pode-se facilmente identificar uma curva que tendia a superar o déficit do ano anterior.

Por exemplo, no ano de 2014 o déficit foi de R$17,24 bilhões, enquanto que em 2015 foi registrado um rombo recorde de R$114,98 bilhões. E a grave crise economia brasileira não para por aí, no ano de 2016 o Governo central registrou um novo déficit primário recorde de cerca de R$154,00 bilhões.

Por isso, existe a necessidade de verificar detalhadamente o rombo de R$7,5 bilhões para que seja identificado as verdadeiras causas que levaram a Prefeitura de São Paulo a extrapolar os seus gastos financeiros, afinal a conta é mais simples do que parece. Nunca se deve gastar mais do que o valor que se arrecada com impostos.

É importante destacar que apesar da instabilidade econômica que o pais ainda apresenta, o Fundo Monetário Internacional destacou que as medidas políticas anunciadas e implementas vizeram com que a economia do Brasil se mostrasse mais confiável.

No entanto, a descoberta do rombo de R$7,5 bilhões apenas evidencia que os órgãos competentes por analisar a saúde da economia de que organização pública possuem uma certa dificuldade em gerenciar os recursos brasileiros de maneira eficiente.

You may also read!

Jovair Arantes PTB / GO

Cota parlamentar suspeita de Jovair Arantes PTB/GO

Cota parlamentar suspeita de Jovair Arantes PTB/GO. A cota parlamentar existe para ressarcir parlamentares de alguns gastos realizados no ato de seu mandato.

Read More...
Michel Temer

Áudio de Joesley e Temer não foi editado, conclui perícia da PF

Áudio de Joesley Batista da JBS e Temer não foi editado, conclui perícia da PF

Read More...
Presidente Michel Temer

Investigação da PF conclui que houve corrupção em caso de Temer e Loures

Relatorio parcial da PF entregue ao STF hoje (19) referente à investigação sobre o presidente Michel Temer e seu ex-assessor Rodrigo Rocha Loures conclui que houve a prática de corrupção passiva.

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu